Clientes (Projetos e Casos de Sucesso)

BP(120)

Depois de pesquisarmos diversas soluções de conectividade para nossa rede de postos na Flórida, com a finalidade inicial de automatizar a mudança do preço dos combustíveis na bomba, fomos surpreendidos positivamente ao saber que poderíamos dentro do mesmo projeto incluir muito mais facilidades para o negócio e com isso viabilizar economicamente o que hoje só foi possível graças a convergência IP.

O escopo inicial foi cumprido: eliminamos um call center com 10 pessoas que ligavam todos os dias para cada um dos postos e passavam a informação de preço para ser digitada no sistema da localidade que administra as bombas. Acabamos com os erros digitação, sem falar na velocidade do processo, que hoje dura menos de 5 minutos para mais de 1.800 postos

Embora fosse esse o escopo inicial, as economias geradas foram muito maiores com a adição de outras facilidades para o negócio como: Telefonia IP, CFTV IP, ERP IP, CRM IP e outros.

Mas na verdade a principal economia, veio ao longo da implementação do projeto, quando os consultores da contratada, que analisavam o negócio, sugeriram para nós o uso de um aplicativo de “brokerage” como gateway de pagamento, já utilizado por alguns de seus clientes.

Resumidamente, depois do depto. financeiro negociar, diariamente, as taxas e volumes com as empresas de adquirência de pagamentos, colocadas as regras no sistema todos os postos passam a rotear os pagamento através das empresa de menor custo. Isso foi uma revolução em termos de economia, pois cada 0,1% negociado representa uma economia enorme, face ao grande volume total de pagamentos da rede de postos.

O projeto foi iniciado em 2011 e o seu rollout para os mais de 9.000 postos com diferentes bandeiras (BP, AMOCO AM/PM e Castrol) vem sendo efetuado dentro do planejamento firmado. O modelo utilizado continua 100% terceirização MSSP.

Trabalhamos para que os +50 milhões de galões/dia sejam 100% gerenciados por este projeto.

Ross(120)

Hoje com mais de 1.100 lojas nos USA, nossa empresa tem uma rede 100% IP.

Iniciamos o modelo em 2006, com outro player e depois de inúmeras dificuldades pela falta de conhecimento para implementar e gerir uma rede IP. Abortamos o projeto e ficamos com uma rede mista (IP e Telecom);  quando em 2009 retomamos com o atual player.

Além de concluirmos o projeto, sem os habituais problemas do passado, implementamos todos os serviços 100% baseados em IP como: ERP, CRM, CFTV, Telefonia, Meios de Pagamentos, etc.).

Hoje, podemos dizer sem arrpendimentos que fomos surpreendidos de forma positiva e temos um serviço MSSP 100% terceirizado com alto nível de satisfação.

Michael Kobayashi, CEO
BKing(120)

Nosso projeto partiu da necessidade da área de negócios cumprir as metas de redução de custos e uptime de 100% para as lojas da rede.

A partir das premissas fomos convencidos, a conduzir um projeto de conectividade e segurança, através da convergência IP.

Basicamente, substitímos os links dedicados das operadoras de Telecom, por links IPs, mínimo de dois por localidade e além de reduzirmos os custos ganhamos maior velocidade, flexibilidade e granularidade com gestão de custos, loja a loja.

Pronta a infra para conectividade segura (links IPs com balacenamento, fail over e VPN) implementamos os serviços: ERP IP, CRM IP, VOIP, CFTV IP, TEF IP além dos demais serviços centralizados e/ou na nuvem.

O projeto piloto começou na Venezuela em 2009 e vem sendo adotado em outros países ao longo dos anos.

Não só os objetivos e metas foram alcançados com vantagens, mas hoje entendemos que todos os serviços do negócio são IP e  deixamos o conceito anterior da rede com gateway único, que gerava altos custos além de concentrar falhas e tráfego de dados desnecessariamento.

Somos honestos em dizer que houve uma revolução no modelo de operação, bem como uma quebra de paradigmas no tocante ao modelo IP, bem como a segurança, que foram palco de muita discussão no início.

Kelly Maddern, CIO
BOFA(120)

Depois de inúmeras referências setoriais, fizemos a contratação para nosso projeto mundial de convergência IP.

Um dos fatores decisivos foi ter o alto nível de especialização e ter num só player a capacitação consultiva para ajudar a formar a RFP do projeto, dentro das normas de segurança gerais e do setor, além de uma equipe, altamente qualificada, para implemnetar e gerenciar os serviços de segurança e conectividade, através de 3 (três) SOCs e times locais em diversos países com domínio dos idiomas (inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e português).

O projeto foi iniciado em meados 2011 e será concluído até final de 2015. O modelo utilizado foi de gestão interna para o “core”, com suporte de 3o. nível pela contratada e nos demais pontos 100% terceirizado no modelo MSSP. Até o momento o cronograma vem sendo cumprido com execelência, merecendo a classificação de fornedor A+.

John Bottega, CSO